6 de dezembro de 2012

COMPARAÇÃO INJUSTA E MALDOSA


A Bíblia nomeia os animais de 1) “Domésticos”, 2) “Irracionais”, 3) “Selváticos” e classifica mesmo algumas categorias de insetos como sendo ‘instintivamente sábias’. – Gênesis 1:26, 3:1; 2 Pedro 2:12; Provérbios 30:24.


É
 BASTANTE comum os seres humanos, quando ofendidos por outro, retrucar com palavras ofensivas e comparações que rebaixam. Uma das formas mais comuns de se fazer isso é a tipificação (ou comparação) animal. ‘Para ofender’, pensam os ofensores, ‘basta compará-los a animais’. Embora que muitas das ofensas ditas dessa forma sejam mesmo bem-aplicadas, há certas delas que é muito injusta, para dizer o mínimo. Observemos dois tipos comuns de ofensas mais comumente pronunciadas por ofensores e, logo em seguida, analisaremos outros tipos de ofensas maldosas que jamais se aplicariam.
Quem é o irracional - o homem mau ou o inocente animal?

   Ofensa 1.: O ofensor, um homem enciumado, dirige-se à sua agora ex-namorada e grita: “sua cadela”. Se o ofensor tiver sabido que sua agora ex-namorada andou ‘saindo’ com vários homens, então a mulher agiu como as prostitutas e, neste caso, portanto, é fácil compreendermos o que o ofensor quis dizer. Neste caso podemos concluir que a ofensa foi justificada e bem aplicada. Afinal de contas, não é verdade que as cadelas são mesmo dadas ao cruzamento com múltiplos parceiros sexuais diariamente? Não é verdade que todos os cães chegam nela a toda hora e qualquer dia?
   Ofensa 2.: Um apresentador de televisão ao mostrar imagens de um assassino em série, diz emocionado: “esse animal tem de apodrecer na cadeira.“ Neste caso, podemos questionar se a comparação (ou tipificação) feita é de toda justa  para o animal, observe bem! Afinal, você já ficou sabendo de algo parecido no reino animal; que um animal, por mais selvagem que este possa ser, tenha por hábito assassinar outros de sua própria espécie? Visto agirem pela sabedoria evolutiva  instintiva  brigam por espaço, comida e até pelas fêmeas do bando. Mas nunca se ouviu falar que um deles tenha desenvolvido algum tipo de arma para sair matando seus semelhantes por estas razões ou por razões ainda muito mais banais.

Muitas vezes os animais aparentam serem
selvagens; mas há pessoas que
são claramente muito mais que isso!
   Assim, tendo evidenciado que há dois tipos de comparações ofensivas muito utilizadas, passemos a considera um estudo pessoal feito pelo nosso irmão TJ/TDS Kianba Uingui, de além-mar. O irmão, tendo identificado uma injustiça nessas tipificações, pergunta acerca dos quatro referências aos animais feitos pela Bíblia, conforme podemos ler nos textos citados no início desta consideração:

TIPIFICAÇÃO MALDOSA – NO REINO ANIMAL
   ‘Qual dos quatro termos [ali usados, constitui] uma tipificação maldosa [muitas vezes aplicadas a homens por ofensores] em relação aos animais?
   Para [nós, que somos] os defensores da Bíblia, os Deuses Criadores são os responsáveis pela existência de [suas] obras criativas [e que, ao final dos trabalhos], definiu-as de ‘muito bom’, [conforme o Génesis]. [Muitos] que veneram a mãe natureza, afirmam que a fauna, a flora e todo ecossistema é produto, única e exclusivamente, da evolução. Todavia, os adeptos de ambas [as] correntes têm tipificado os animais de seres irracionais. A bem pouco tempo, eu julgava o mesmo, doravante já não [faço mais isso]. Por que não? Porque é maldoso e absurdo, visto que a Bíblia atribui irracionalidade aos animais, não pela natureza deles, mas sim, quando atuam negativamente, um fato também observável no ser humano. (Sal. 32:9; 73:22; Prov. 30:2, TNM) Então qual é a natureza dos animais? A Bíblia responde: ‘instintivamente sábios’.  Prov. 30:24, Jó 12:7, 35:11, TNM.

 O HOMEN TORNA-SE MAIS IRRACIONAL [QUE OS PRÓPRIOS ANIMAIS] QUANDO…
   Por prazer ou desporto [(ou esporte)], maltrata animais até a morte. Até onde eu sei os animais não fazem igual. Os religionistas abençoam os homossexuais e as lésbicas. Até onde eu sei; os animais não estão enveredando neste estilo de vida sexual.  Le. 18:22; 1Tim. 1:8-10; Ju. 7; Le. 20:13; Ro. 1:27, TNM.
   Por ganancia financeira [o homem] derruba árvores indiscriminadamente e, entre muitas coisas, fabrica o papel e sobre o mesmo cinicamente escreve: “Protejam as árvores.” Até onde eu sei os animais não fazem igual. Cultiva, comercializa e consome cigarros, mesmo sabendo que cigarro mata, ou anda em dúvida? Até onde eu sei, os animais são eternos non-smokers. Felizmente, esse quadro vai mudar, quando os Deuses Santos ‘arruinarem os homens que arruínam a terra’. [Naquele dia] até a mãe natureza agradecerá efusivamente.  Is. 11:6-9; 65:25; Re. 11:16-18, TNM.






_______________________

Os inocentes animais não aguentam mais tanta disparidade
nas tipificações injustas!
Como podemos deduzir; os animais não merecem que usemos seus nomes — o que eles representam — para fins de tipificações maldosas. Quando fazemos isso, estamos ofendendo, não a pessoa, mas os inocentes animais. Há de fato muitas comparações totalmente injustas que utilizamos ofensivamente contra o bom nome dos animais no nosso dia a dia. Você sem dúvida conhece algumas. Vale lembrar que as muitas tipificações, que são usadas apropriadamente, devem ser nos melhores interesses dos animais. Afinal, nós é que agimos, muitas das vezes, irracionalmente, e não eles. Sobre todas as blasfêmias ditas por homens  os que verdadeiramente agem como irracionais  os animais, que são ‘instintivamente sábios’, farão bem em tapar seus santos ouvidos diante das monstruosidades atribuídas a eles injustamente. No dia do grande julgamento, os Deuses preservarão os animais, mas os iníquos é que serão reservados para o abate.  Salmos 37:29; Ezequiel 21:8-10; Provérbios 2:20-22.
   Aproveito para classificar muitos dentre a humanidade — sobretudo os líderes religionistas maus — de os verdadeiros irracionais. Ocorre que, indo eles contra sua natureza criada, agem como se não a tivessem ativa e operante em seus intelectos. Por exemplo: A Bíblia diz a eles: “pastoreai o rebanho dos Deuses”. Mas eles, agindo sem inteligência alguma, fazem o contrário — espancam-nas. Até quando os Deuses os tolerará? Não indefinidamente! — 1 Pedro 5:2; 1 Timóteo 3:3; Tiago 2:13.

18 comentários:

Anônimo disse...

Olá irmão , quem são os escorpiões de apocalipse 9:3-6 ?

charlie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

O apóstolo Paulo salientou que a ira de Deus é expressa primariamente na situação de permitir que os humanos experimentem o efeito doloroso de agir contrário à voz da consciência, com o objetivo de que eles se sintam motivados a mudar suas atitudes. (Romanos 1:18 – 2:11) Provavelmente as pragas mencionadas no livro do Apocalipse devem ser consideradas nessa mesma luz. Estas pragas podem ser entendidas como o abandono da humanidade por parte de Deus, para que a humanidade experimente as amargas conseqüências de desafiar e odiar intensamente os caminhos enobrecedores dele. O objetivo em mira, entretanto, não é simplesmente permitir que os humanos experimentem uma retribuição por suas ações, e sim conduzi-los ao arrependimento. Isto é confirmado pelo fato de que, com referência àqueles que sobrevivem à primeira série de pragas, o registro inspirado diz: “O restante da humanidade que não morreu por essas pragas, nem assim se arrependeu das obras das suas mãos; eles não pararam de adorar os demônios e os ídolos de ouro, prata, bronze, pedra e madeira, ídolos que não podem ver nem ouvir nem andar. Também não se arrependeram dos seus assassinatos, das suas feitiçarias, da sua imoralidade sexual e dos seus roubos.” (Apocalipse 9:20, 21). A menção de sua recusa em mudar de proceder indica que eles poderiam ter feito isso, mas escolheram endurecer em seus caminhos maldosos e que desonram a Deus. Mesmo a expressão final da ira divina (aparentemente representada pelo derramamento das “sete taças da ira de Deus” sobre a terra) não exclui a possibilidade de arrependimento. (Apocalipse 15:1; 16:1).
Pouco antes do derramamento das taças da ira divina, os conquistadores ou vencedores, em razão de terem resistido às intensas pressões para se tornarem adoradores da besta e de sua imagem, são descritos como estando nas proximidades do trono de Deus. (Apocalipse 15:2; compare com 4:2-6) Isto sugere que todos os cristãos genuínos atingiram sua herança celestial. Sua boa influência para o bem entre os humanos na terra terá ido embora com eles. De modo que quando o Todo-Poderoso, em expressão de sua ira, abandonar totalmente a humanidade às amargas conseqüências de terem desconsiderado a voz da consciência, eles colherão de modo inapelável os frutos de sua atitude. Ainda assim, em face do juízo divino que se avizinha, a canção daqueles que ganharam vitória ressoa com um refrão de esperança: “Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações. Quem não te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o teu nome? Pois tu somente és santo. Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiça se tornaram manifestos.” (Apocalipse 15:3, 4) Que testemunho grandioso isso dá sobre o amor de Deus! Mesmo no período final de julgamento, a porta do arrependimento permanece aberta para pessoas de todas as nações. A expectativa desses cantores é que muitos, por causa dos julgamentos justos, virão a ter um temor reverente de Deus e o adorarão voluntariamente. Sendo parte da Palavra profética dele, esta canção deverá se cumprir.
Assim, o amor e a compaixão de Deus não são retidos, mesmo quando ele está expressando sua ira. Ninguém perderá as alegrias e as bênçãos que nosso Pai Celestial deseja conceder à humanidade a não ser que a pessoa escolha, de maneira deliberada e desafiadora, pisotear o amor dele. Considerando que a plenitude do amor dele ultrapassa a nossa compreensão, podemos ter toda a confiança de que Ele nunca abandonará aquele que quiser ser seu filho e aceitar de modo apreciativo o que Ele fez por meio de seu Filho amado, Jesus Cristo.
Esperamos termos esclarecido o assunto.

"mentes bereanas"

Anônimo disse...

Para a grande maioria das TJ's, existe o pensamento de que a Torre rejeita a doutrina de uma alma separada do corpo. E de certa forma essa doutrina é bastante contraditória, na verdade é mais contraditória do que o conceito clássico da imortalidade da alma.

As TJ's se apegam ao conceito da alma ser o corpo físico, oque representa uma estranha ótica materialista sobre a alma (materialismo no sentido filosófico, referente à matéria. Para as TJ's materialismo é a busca por bens materiais e prazer, mas isso na verdade se chama mundanismo).

Mas existe um outro ente que as TJ's não conceituam diretamente e que está implícito em sua doutrina. Esse ente é geralmente explicado por elas como sendo uma "memória" que fica "guardada" na "mente" de Jeová. Uma ilustração recorrente é sobre o celular e seu chip GSM. O celular representa o corpo e o chip é essa "memória" do indivíduo.

As TJ's então enfrentam a mesma problemática que as outras religiões, eles simplesmente não conseguem definir (até hoje nenhum teólogo ou filósofo dualista conseguiu produzir uma definição. No máximo conseguem uma definição negativa, ou seja, oque não é uma alma) oque é esse ente que está separado do corpo (hipótese dualista de mente e cérebro). Nem mesmo os espíritas possuem uma definição sobre oque é o espírito, então eles recorrem ao que justamente eles negam: o materialismo. No caso dos espíritas, eles recorrem a um corpo material menos denso, chamado de perispírito, no qual o espírito (não-definido) habita e controla o corpo físico.

No caso das TJ's, pode-se dizer que elas acreditam em um ente que sobrevive a morte física, mas que fica inerte e pode ser descartado em um tempo estabelecido. As TJ's possuem a doutrina implícita de "alma inerte", mas que não é imortal, pois será um dia "apagada" da memória de Jeová depois do Armagedom (a segunda morte?). As TJ's possuem uma doutrina sobre um ente (não-definido), que é separado do corpo e que sobrevive à morte física (mesmo que temporariamente "até o Armagedom").

Estranhamente nenhuma TJ percebe essa doutrina, e em sua maioria, nem mesmo conseguiriam aceita-la se fosse apresentada a elas. Essa doutrina "embutida" é apenas mais um exemplo da dominação da Torre sobre seus escravos, que nem mesmo se apercebem das contradições internas de sua religião.

Johanes

Apóstolo TDS disse...

Boa definição e comentário, irmão Johanes. Eu mesmo não conseguiria fazer tão bem.

Parabéns e continue conosco, iluminando-nos neste e noutros pontos. Aprecio muito uma nova visão das coisas, sobretudo quando esta visão é mais aparentada com a verdade dos fatos, em vez de acreditarmos apenas nos conceitos de homens convencidos de que são os únicos especiais diante dos Deuses - mas não são! - Leia Revelação 2:9.

Apóstolo TDS

Investigando a Torre disse...

Já não entendo nada!
A Continela agora é vendida?

Vitor
(Portugal)

Apóstolo TDS disse...

Irmão Vitor, para as Testemunhas dos Deuses Santos o alimento espiritual produzido pelo escravo fiel e discreto continuará gratuitamente. Agora para os de fora, só mediante uma pequena contribuição. Temos conversado a respeito disso entre nós, mas a mudança se fez necessária. é uma medida cautelar fornecida pelo espírito.

Apóstolo TDS

Investigando a Torre disse...

Obrigado pela informação! Fiquei esclarecido relativamente aos vossos propósitos.
Agradeço que a partir de agora, qualquer registo dos meus contactos na vossa base de dados seja definitivamente eliminado.

Vitor
(Portugal)

ednilson sacramento disse...

Olá irmãos, reais irmãos, filhos de Jeová (Javé) e irmãos de Jesus.
É interessante que se observe a afirmação divina quanto a quem Ele vê como sendo "justo". O "justo" é aquele que não presisa ser perdoado.
Jeová afirmou para Jeremias: (Jeremias 5:1-2) 5 Percorrei as ruas de Jerusalém e vede, pois, e sabei e procurai vós mesmos nas suas praças públicas se podeis achar um homem, se existe alguém que pratique a justiça, alguém que procure a fidelidade, e eu perdoarei a ela. 2 Mesmo que dissessem: “Por Jeová que vive!” estariam com isso jurando pura falsidade.

NEM MESMO O PROFETA Jeremias se enquandrava no perfil que Jeová desejava ver.
Qualquer um que se auto aprovasse como justo e que até mesmo jurasse ser justo, revelava ser um mentiroso.
No mesmíssimo caso de todos os habitantes de Jerusalém, TODOS nós estamos hoje.
Somos todos iníquos. Há quem jure que não é, no entanto, é mera falsidade.

ednilson sacramento disse...

Irmão Anônimo, além do ser físico existe a "personalidade" do ser físico.
Jeová (Javé) se auto define como um somatório de qualidades. As qualidades são consequência (fruto) dos sentimentos. Os sentimentos são invisíveis e habitam um local invisível, que Javé chama de coração.
O somatório destas qualidades formam a personalidade.
A personalidade comanda a ação do físico.
De acordo com a personalidade, este indivíduo terá certas "vontades". Tire a vontade e o indivíduo ficará inerte, obedecendo a comandos definidos e ensinados a ele.
Como se forma a personaidade??
Através de informações.
Ao manipularmos informações poderemos criar ou modificar os nossos sentimentos. Nossa personalidade é formada pelo somatório dos nossos sentimentos.
Isto é comum a todo ser que tem o livre-arbítrio, tanto os filhos de Adão (humanos) como os anjos (criaturas que não possuem matéria visível aos "NOSSOS" olhos).
Jeová também possui livre-arbítrio e Ele o usa em TODO o Seu relacionamento com aqueles que Ele projetou e criou segundo esta Sua semelhança.

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=1ApHOXntoAw

irmão sacramento pode comentar o vídeo ?

Anônimo disse...

mas tem que ver até o final

Anônimo disse...

1921 fevereiro 2, A Era de Ouro ainda apontou que aparentemente "honestos" demônios, falando através de médiuns ou tábuas Ouija, diziam que na descoberta Radium, a humanidade foi se aproximando do "segredo" da vida. O fato de que "espíritos mentirosos", como eles chamavam disse que isso não levantar quaisquer bandeiras vermelhas, porque, segundo eles, "mesmo mentirosos, às vezes, dizer a verdade." (CJ Woodworth, "Radium-Terras maioria substância preciosa", A Idade de Ouro, 2 de fevereiro de 1921, p. 260.) A Sociedade Torre de Vigia e charlatanismo médico

1922 Isto foi provado em um tribunal de direito. Os fundadores de ambas as "religiões", os mórmons e as Testemunhas de Jeová eram da linhagem Illuminati. Charles Taze Russell, que fundou a Sociedade Torre de Vigia (Testemunhas de Jeová), foi dos Illuminati Russell linhagem , que também fundou a infame Sociedade Caveira e Ossos na Universidade de Yale. Charles Taze Russell era um Satanista, um pedófilo segundo sua esposa, e um amigo do Rothschild. Na verdade, foi o Rothschild é que financiou a operação das Testemunhas de Jeová em ser, juntamente com outros banqueiros Illuminati, através de "contribuições" por organizações como controlado pelos Rothschild B'nai B'rith. Uma das principais pessoas envolvidas nesta era Frank Goldman, que mais tarde tornou-se presidente da B'nai B'rith. Por que uma organização criada (em teoria) para ajudar o povo judeu e promover a fé judaica, ser o financiamento à existência as Testemunhas de Jeová? Eu acho que o nome Rothschild responde a pergunta. Russell também foi maçom grau elevado e Cavaleiros Templários. Ele promoveu o sionismo, outra criação de Rothschild, em nome de seus amigos e apoiadores. Hitler foi um Rothschild?

ednilson sacramento disse...

Irmão Anônimo, eu assisti todo o vídeo.
Sendo uma lingua descontinuada, há necessidade de tornar-se um especialista nela para poder afirmar em relação à correta pronúncia do Tetragrama. Adicionava-se sinais para identificar o som usado naquele local. Especialistas discordarão de outros especialistas, no entanto, o ponto em questão é que havia um nome, nome este que não foi dado pelo humano para Ele, pois Ele próprio autodenominou-se Jeová.
"Para Abraão, eu não me dei a conhecer com este nome", afirmou o Pai para Moisés.

Apresentar-se com este nome tinha um objetivo, objetivo este, existente na mente do Pai.
Ele trocou o nome de Abrão, de Sarai, de Jacó..., para nomes que tivessem o significado em relação àquela pessoa.
Jacó era muito rebelde. Em face disto, Jeová lhe trocou o nome para Israel.

Estou com 56 anos. Desde a minha infância, as pessoas perguntavam se eu estava dando um nome para o Deus da bíblia.
Muitas organizações religiosas já admitem que Jeová é o nome de Deus. Sou uma testemunha deste fato.
"Jeová é o mesmo que Jesus" > isto ainda afirmam alguns cristãos. Espero ver o tempo em que afirmem diferente.
Os humanos sempre ensinam as coisas que acreditam em relação a Deus.
Revelam o quanto o conhecem. Jó era tido como sábio. Ensinava coisas e coisas em relação a Deus. Seriam verdade?? O que o tempo revelou??
De acordo com as novas informações que passam a acreditar, Deus vai mudando de forma e de personalidade.
Tudo dentro da normalidade.
Jeová não guarda ressentimento.

ednilson sacramento disse...

Ainda em relação aos animais......
Os animais não possuem o livre-arbítrio. Somente os criados à semelhança do Pai possuem o livre-arbítrio. Os que possuem livre-arbítrio são comandados pela vontade. Suas palavras e suas ações são frutos da vontade existente neste ser.
Os que possuem o livre-arbítrio, geralmente colocam a culpa de suas ações em outras pessoas humanas, circunstâncias ou em pessoas invisíveis.
Só consegue mudar aquele que já admite que está em erro, e que não coloca e nem divide a culpa com ninguém.
Ninguém deixará de ser iníquo em face de uma imposição do Pai Celestial ou em face de uma vacina anti-pecado.
O Pai Celestal não é um tirano. Ele respeita o livre-arbítrio.

Anônimo Legal disse...

Apóstolo, site jw.org fora do ar. vc sabe de alguma coisa?

Anônimo Legal

Anônimo disse...

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=104670896371759&set=a.104670889705093.9024.100004865468994&type=1&relevant_count=1

encontrei sumido irmão chatlittle monstro , no link supra está 1 foto dele

Anônimo disse...

maluco fei do carai , parece um monstro mesmo