22 de julho de 2013

O “PAI DA MENTIRA” E SUA PRIMEIRA MENTIRA – PARTE II

O “PAI DA MENTIRA” E SUA PRIMEIRA MENTIRA – PARTE II

Os Deuses sabiam que, se comesse da “árvore do bom e do mau”, o homem se tornaria como Eles próprios, um ser capaz de decidir o que é bom e o que é mau para si próprio e por si próprio!’ — Gênesis 3:4; 22.

A
Ao 'seduzir o homem' a comer da 'árvore proibida',
será que o Deus Gadrel mentiu?
PRENDEMOS NA PARTE 1 deste artigo que, “no princípio”, quando todos os Deuses Jeová criavam “todas as coisas” aqui neste planeta, um dos Deuses, aquele cujo nome pessoal é Gadrel, decidiu usar seu livre arbítrio de modo errado, para ‘desfazer a obra dos demais Deuses’. (Gênesis 1:1; Efésios 3:9; 1 João 3:8) Logo no início de nossa história, quais humanos “feitos à imagem e semelhança dos Deuses”, Gadrel agiu de uma forma nada inocente. O modo injusto como agiu foi o bastante para que os demais Deuses ‘vissem injustiça nele’ e, por conseguinte, o condenassem. Gadrel rapidamente passou da condição de um Deus santo e belo para a do primeiro, mais esperto e feio Satã dentre todos os que logo o seguiriam em seu proceder rebelde, vindo todos estes a estarem sob o controle e domínio dele. — Gênesis 1:26; 3:14, 15; Ezequiel 28:11-19.
   Os motivos que levaram os demais Deuses a condenarem Gadrel tem que ver com algo além do “mau” que ele causou ao homem. Como veremos, foi exatamente a este caso à parte que levou o Senhor Jesus a mencioná-lo como o “pai da mentira”. Embora que o astuto ato de Gadrel contra a humanidade venha sendo entendido a muito tempo, por muitos pesquisadores das Escrituras, como sua primeira mentira, reajustaremos o que já sabemos com as mais novas e assombradoras verdades que cercam este mistério milenar. Primeiramente, leiamos novamente as palavras pronunciadas por ele a Eva:

“Seguramente não morrereis. Porque os Deuses sabem que, no mesmo dia em que comerdes [do fruto da árvore do bom e do mau], forçosamente vossos olhos se abrirão, e forçosamente sereis como os Deuses, sabendo também o que é bom e o que é mau.” — Gênesis 3:4, TDS.

   ‘Não morrerás se comer do fruto’, disse Gadrel a Eva, contrariando o que Adão ouvira antes. (Compare com Gêneses 2:17) ‘Muito pelo contrário’, garantiu ele, ‘se vocês comerem desse fruto vocês forçosamente se tornarão como nós, seres capazes de decidir entre o bom e o mal – traduzindo: comer do fruto representa liberdade’! Será mesmo que o que proferiu Gadrel foram mentiras absolutas? Será que suas intenções primárias foram mesmo transmitir mentiras à humanidade, como para causar-lhes danos? Embora que até hoje o entendimento disponível diga sim a estas perguntas, o espírito indica hoje que é hora de reajustarmos esses entendimentos equivocados. — Mt 10:20; Lc 12:12; Jo 14:26.
OS REAJUSTES NECESSÁRIOS DADOS PELO ESPÍRITO DOS DEUSES SANTOS
   Quais são os reajustes revelados? A verdade a partir de hoje é a seguinte: Gadrel não mentiu, mas falou a verdade. Suas intenções não eram de todas malévolas, mas deu ao homem o que Eles todos já haviam intencionado desde o início de suas criações. Se esta nova afirmação é verdade, como, porém, se explica esta aparente discrepância absurda, e, além disso, como explicar o que Jesus dissera sobre Gadrel ser um ‘mentiroso e um homicida’? Vejamos o que o “espírito dos Deuses santos” nos ensina hoje como reajuste ao que já se sabe sobre este que é uma das “coisas profundas dos Deuses”. – Da 4:8, 9; 1 Coríntios 2:10.
   O que revelaremos aqui sobre esta nova verdade, também está sendo veiculada através de nossa revista da verdade: A Continela – Anunciando o reino dos Deuses Santos, número 14 (ct14P — p. 8-10). Como dito ali, a “árvore do bom e do mal” fora plantada no “meio do jardim”, ao lado da outra também árvore especial, a “árvore da vida”, pelo mesmo motivo que ela: para dá frutos para o homem. Enquanto que, alimentando-se periodicamente com os frutos da “árvore da vida” o homem tinha a certeza de viver indefinidamente, comer regularmente da “árvore do bom e do mau” daria ao homem a condição de ser como seus próprios criadores: seres providos de plena liberdade e capazes de tomarem suas decisões independentes. —  Gênesis 2:9; 3:3; 2Co 3:17.
   O tipo de independência prevista pelos Deuses de modo algum seria a do tipo ruidosa, daquele tipo que gera rebelião ou um “disfarce para a maldade”. (1Pe 2:16) Entretanto, diferentemente dos frutos da árvore da vida, que foi dada a permissão para dele comerem livremente, os frutos da “árvore do bom e do mal” não deveria ser comido naquele momento, por isso a ordem expressa em ‘nem mesmo tocar nele’. (Gên 1:29; 2:9, 16) E porque não? Qual a verdadeira razão por trás da proibição naquele momento? Vejamos.
O “PAI DA MENTIRA” E, QUAL FOI MESMO SUA MENTIRA?
   Analisemos detidamente o registro bíblico sobre o incidente aqui abordado e entendamos que o Deus Gadrel não proferiu mentiras à mulher Eva. Que Gadrel não mentiu sobre o ‘homem tornar-se igual aos Deuses’ e que o homem ‘não morreria caso comesse da árvore do bom e do mau’ é revelado pelos demais Deuses Jeová logo após o incidente. Numa reunião entre eles, admitiram abertamente:

E Jeová, os Deuses, prosseguiram, dizendo entre si: ‘Eis que [por comer da ‘árvore do bom e do mau’] o homem se tem tornado como um de nós, sabendo o bom e o mau, e agora, a fim de que não estenda a sua mão e [continuem a tomar] também do fruto da árvore da vida, e coma, e [continuem a viver] por tempo indefinido, decidamos o que fazer’.” — Gênesis 3:22, TDS.

   Está mais que claro que Gadrel não mentiu no que diz respeito ao homem ‘se tornar como os Deuses’ quando comesse daquela árvore. ‘O homem, ao comer da árvore do bom e do mau, tornou-se agora como qualquer um de nós, seres independentes e livres pensadores’, admitiram claramente os Deuses Jeová. Se Gadrel não mentiu neste ponto, teria ele mentido no segundo ponto, quando disse que o homem ‘seguramente não morreria’ se comesse da árvore, quando o que o homem havia escutado era: “seguramente morrerás”? Novamente a resposta é não. Gadrel também não mentiu neste ponto! Foi a decisão a que os Deuses chegaram, a de expulsar o homem do paraíso — para muito longe da única árvore sustentadora de uma vida de duração indefinida —, é que fez com que o homem passasse a morrer. Não fosse por isso, independente de alimentar-se ou não da ‘árvore proibida’, o homem continuaria a alimentar-se da árvore da vida e, consequentemente, não morreria.
   Se Gadrel não mentiu em nada do que disse, então por que, mais de 4 mil anos depois, disse nosso Senhor Jesus que ele mentira? Se as palavras proferidas por ele a Eva não constituíram mentira, quais palavras mentirosas fez dele o “pai da mentira”? Obviamente Gadrel “seduziu Eva”, como também indicou o espírito através do apóstolo, mas onde está a mentira? Entenda agora qual foi o erro de Gadrel e o que levou a ele a tornar-se o primeiro Satã, um homicida e o “Pai da mentira” entre tantos outros adjetivos desprezíveis.
QUANDO GADREL TORNOU-SE O “PAI DA MENTIRA” E O PRIMEIRO SATÃ
   É correto afirmarmos que, muito antes de os Deuses criarem o homem, decretaram como as coisas ocorreriam com essas suas sublimes criaturas. A questão de quando o homem deveria comer da árvore do bom e do mau certamente estava entre os parâmetros estipulados e aprovados por todos eles, inclusive pelo próprio Gadrel. Após a criação do homem, parece que Gadrel foi o Deus Jeová encarregado de monitorá-los no seu dia a dia. Veja o que o espírito indica sobre suas tarefas e o quanto, a princípio, ele a exercia corretamente:

“Vieste a estar no Éden, jardim dos Deuses. Toda pedra preciosa era a tua cobertura: rubi, topázio e jaspe; crisólito, ônix e jade; safira, turquesa e esmeralda; e era de ouro o artesanato dos teus engastes e dos teus encaixes em ti. Foram aprontados no dia em que foste criado. Tu és o querubim ungido que cobre, e nós te constituímos. Vieste a estar no monte santo dos Deuses. No meio de pedras de fogo andavas. Eras sem defeito nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou injustiça em ti.” — Ezequiel 28:13-15, TDS.

   Por uns cem anos, tempo que abrange a criação de Adão até a criação de Eva, o supremo concelho dos Deuses ‘constituíram’ — ou ‘criaram’ — um excelente posto para Gadrel ali no Éden. Ele estaria encarregado de monitorar o homem, observando-o e fazendo relatórios periódicos sem que, para isso, interferisse, no sentido de modificar a evolução natural das coisas. Gadrel deve ter se cansado de observar o lento progresso evolutivo do homem e, também, deve ter alimentado desejos nocivos no sentido de adiantar logo as coisas. Gadrel sabia que a árvore do bom e do mau só deveria ser consumida num tempo marcado para isso, possivelmente quando o homem apresentasse evidências de que estava preparado para assumir maiores responsabilidades. Lembre-se: se a árvore do bom e do mau não fosse para ser comida nunca pelo homem, evidentemente, então, também nunca que os Deuses, que são todo-sábios e todo-amorosos, a teriam plantado no jardim, à vista de suas criaturas, como se Eles fossem ‘Deuses tentadores’. — Tg 1:13.
   A verdade foi que Gadrel se ‘adiantou’ à ordem dada por todo o Concelho dos Deuses e, por isso as consequências foram das piores para ele e para o homem. Os demais Deuses, cientes das grandiosas implicações que sobreviriam ao homem por este ter se emancipado antes do tempo, decretaram que o que brotou no coração de Gadrel não foi algo inocente e bom. A punição dada a ele pelos demais Deuses é comparável à demissão de um empregado de uma ótima empresa onde ganhava muito bem, por justa causa  sem direito a nada de indenizações. Gadrel, da posição de um Deus santo e glorioso, digno de muita confiança e respeito, agora se viu obrigado a fugir e a se esconder, tornando-se inimigo dos demais Deuses. Para todos estes, Gadrel havia morrido, sim, ele cometeu 'homicídio' contra si próprio ao se rebelar! Gadrel certamente havia prometido executar de modo perfeito e correto suas funções relacionada ao monitoramento da humanidade no Éden, enquanto guardião de todos nós, humanos. Ao violar seu 'contrato', mentiu aos Deuses santos. Foi por isso que ele "não permaneceu firme na verdade". Tornou-se, portanto, um mentiroso — o  primeiro da espécie e, portanto, o "pai dela", da mentira. — João 8:44, n TNM.

   Os planos de Gadrel aparentemente tinha tudo pra dá certo — mas não deram! Em vez de tornar-se um grande benfeitor, Gadrel teve seus planos frustrados pelos Demais Deuses que, condenando seu proceder, empurraram-no à condição de primeiro Satã e Diabo da história. Estas novas informações ajustam o que se conta por ai, conforme se prega desde um púlpito, de um palco, de uma tribuna, bem como é veiculado em centenas de milhares de periódicos mundo-afora! Por que ensinam erros religionistas logo hoje, quando se avizinha o tempo apontado pelas Escrituras como o tempo em que os segredos sagrados dos Deuses seriam revelados abertamente e de modo abundante? — Daniel 12:4.
DO CONHECIMENTO LIMITADO À COMPREENSÃO PERSPICAZ DESTE DRAMA MILENAR
   Desde o “princípio” e vindo até nós, nestes tempos muito avançados, muito foi compreendido sobre os mistérios que permeiam este drama. Os cristãos, em especial, constituíram o principal grupo religioso que pesquisou as Escrituras e, devido à sua ardente persistência em encontrar a verdade e também devido à ação do espírito de Jesus Cristo e do amor que nutriam pelas verdades bíblicas, compreenderam muitos aspectos deste milenar mistério. Entretanto, muito mais fora reservado para os tempos de agora, para que se revelasse a pessoas pré-designadas, a nós hoje! — Jo 14:26; Fil 1:19.
   Nos últimos tempos, estudantes das Escrituras em todo o mundo, representantes de miríades de religiões ditas cristãs e apreciadoras dos ensinamentos bíblicos, estiveram ocupadas em entender mais aspectos sobre este drama milenar. Embora que muitos obtiveram certos êxitos em suas buscas, o espírito dos Deuses santos, aquele que ‘ensina’ às pessoas ‘corretamente dispostas’, reservou detalhes para serem revelados a específicos servos dos Deuses santos nos nossos tempos — a saber, a nós Testemunhas dos Deuses Santos! (Atos 13:48) Estes detalhes revelados, portanto, substitui os arcaicos entendimentos que se tinha sobre o drama. Entretanto, o que está fazendo hoje Gadrel, o “pai” dos “cães (ou viados) e [dos] que praticam o espiritismo, e [dos] fornicadores (ou prostitutos[as]), e [dos] assassinos, e [dos] idólatras (ou Católicos), e [de] todo aquele que gosta da mentira (os que 'preferem ser governados por líderes religionistas e crer em seus ensinos conflitantes) e a pratica (ou seja: os líderes religionistas)”? — Revelação [Apocalipse] 22:15.


O “PAI DA MENTIRA” E SUAS MENTIRAS HOJE

   Satanás, o Diabo, junto com todos os Satãs sob sua chefia, está hoje envolvido na maior tarefa de todos os tempos para ele: “[a cegagem das] mentes dos incrédulos, para que não penetre o brilho da iluminação das gloriosas boas novas a respeito do Cristo, que é a imagem dos Deuses”. Qual "Deus deste sistema de coisas”, Gadrel está empenhado em ‘desencaminhar toda a Terra habitada’ com suas "artimanhas" de sempre. Os que se deixam desencaminhar por elas, por sua vez, fazem o mesmo que todos os Satãs — desencaminham as pessoas fracas da mente. O maior exemplo de cegagem por parte dos ‘ministros dos Satãs’ é o que ocorre em praticamente todas as denominações religionistas ditas cristãs. Ali há os homens que, como ocorria nos tempos do Senhor Jesus e aos quais ele denunciou corajosamente, ‘governam as grandes multidões de modo prejudicial’. Estes homens — os líderes religionistas “cristãos” estão decididos a, assim como Gadrel, ‘nem entrar no reino nem deixar os que querem fazer isso’. Todos estes são os “filhos do furor”, os literais "filhos do Diabo". Tome muito cuidado com eles! — 2 Coríntios 4:4; 11:14, 15; Revelação [Apocalipse] 12:9; 2 Timóteo 3:13; Efésios 2:3; 6:11; Mateus 23:13; Eclesiastes 8:9; 1 João 3:10.


40 comentários:

Joaquim Ramos disse...

Meu amigo, sinto em te dizer, mas você está apresentando sinais de demência. Procure tratamento em um centro de ajuda psiquiátrica. Não estou falando por mau. Estou tentando te ajudar. O estudo excessivo te fez mal, cara. É hora de parar. Descanse e pare de ler por um tempo.

Acorde para o mundo real...enquanto há tempo.

Sergio Rodrigues disse...

É não foi apenas eu que percebi que esse site aqui é muito doido!
Achei que estava sonhando. Meu Deus, quanta bobeira. Chega até a ser psicodélico.

Eduardd disse...

Para os Deuses 1 dia é como mil anos e Gadrel ficou entediado com a demora por volta de cem anos , não é muito provável que este ato tenha sido tão injusto , o mais provável é que Genesis tenha sido baseado no épico babilonico enuma elish , á todos vocês religiosos tenho uma frase :
“Fé é o esforço para acreditar naquilo que seu bom senso diz que não é verdade.”

Apóstolo TDS disse...

Irmão Joaquim Ramos, um observador dos ensinos do apóstolo Paulo disse a ele:

"Estás ficando louco, Paulo! A grande erudição está-te levando à loucura!" - Palavras de Festo, Governador da província romana da Judeia, Atos 26:24.

Festo era um homem mau-informado e, por isso, falou bobagens. O irmão também! Igual a Festo, por nada saber sobre os caminhos da verdadeira fé, fala bobagens.

Não, irmão Ramos, não 'estou apresentando sinais de demência' coisa nenhuma, "mas estou proferindo declarações de verdade e de bom juízo", assim como meu irmão Paulo. - Atos 26:25.

Irmão Sergio Rodrigues, o mesmo serve para o irmão . . .

Irmão Eduardd

É correto o que o irmão falou. Realmente, como diz a Palavra dos Deuses, 'mil anos para eles é apenas como um dia para nós'. Mesmo assim, ao que tudo parece, Gadrel não conseguiu esperar o tempo em que o homem estivesse habilitado a comer da "árvore do bom e do mau". É possível que, pelo andar da carruagem, ele tenha concluído que este tempo poderia durar mais que mil anos quando, na verdade - ele poderia concluir - o homem deveria ter apresentado evidências de está preparado nos primeiros cinquenta anos.

Pode ser comparável a quando nós mesmos esperamos o leite ferver. Ao ficarmos monitorando o ferver percebemos que parece que nunca que ferve. Se não estivermos monitorando o fogo o leite ferve tão rápido que até derrama - mera ilusão. O que faz mesmo a diferença é que, quando monitoramos o ferver do leite, pensamos que nunca que ferve e, muitas das vezes, ficamos zangados e impacientes com o processo. Não é verdade que muitas das vezes todos nós não giramos o botão do fogão para 'apressar' o processo do ferver do leite?

Assim fez Gadrel. Ele não teve paciência e causou logo o que estava previsto somente para 'um tempo determinado para isso'. (Eclesiastes 3:1-9) Todas as guerras já travadas, todos os crimes já cometido e todo tipo de sofrimento que já presenciamos, só aconteceu devido a esse ato. Gadrel tornou-se o primeiro Satã e nós, meros leigos no assunto, fomos bombardeados por sentimentos e informações dos quais não estávamos preparados. O homem simplesmente não estava pronto para lidar com tantos 'bites' de informação. O simples fato de Adão e Eva passarem a ter sentimentos de 'vergonha' um do outro - pois 'perceberam que estavam nus' (Gên 2:25; 3:7) - evidenciam o quão poderosos eram os novos sentimentos que minavam de suas mentes agora. Não podemos nem especificar, mas é possível dizer que o cérebro dos dois evoluíram num dia o que não evoluiria em muitas dezenas de anos. Eles simplesmente não conseguiriam lidar com tantos dados de uma só vez.

Obrigado pela participação com seu excelente comentário.

Apóstolo TDS




Anônimo disse...

Aquela história do Pecado Original que afirma que Adão comeu do fruto proibido é uma grandíssima balela. Esse fato, inclusive, foi o que tornou o sexo entre o homem e a mulher como algo proibido, censurável. Quando, na verdade, o sexo é uma coisa linda, livre e foi uma das modificações genéticas processadas em Adão e Eva, pelos cientistas Anunnaki, permitindo que àqueles que foram criados à sua imagem e semelhança, também pudessem procriar. No entanto, nas narrativas bíblicas, a história é vendida como pecado. Pecado, meu senhor, é a pedofilia, quando verdadeiros criminosos se escondem atrás de suas vestes religiosas e abusam sexualmente de crianças indefesas. E o pior de tudo é que esses criminosos ficam impunes protegidos pelos poderosos senhores donos dessas seitas religiosas.
Adão e Eva não foram expulsos do Edin por praticarem sexo. O motivo foi outro. Leia o relato do professor Sitchin, de trechos transcritos de um dos seus livros, que é a tradução das tábuas de argila deixadas pelos sumérios séculos antes da Bíblia:

QUANDO O PARAÍSO FOI PERDIDO
A Expulsão de Adão e Eva do Jardim do Éden, que seria uma quebra deliberada e decisiva dos elos entre Adão e seus criadores, não foi definitiva, afinal de contas. Se fosse, os registros de Encontros Divinos teriam terminado aí mesmo. Em vez disso, a Expulsão foi apenas o início de uma nova fase nesse relacionamento, que pode ser caracterizada como esconde-esconde, na qual os encontros diretos se tomaram raros, e visões ou sonhos recursos divinos. O início desse relacionamento pós-paraíso não foi nada auspicioso; na verdade, foi trágico. Sem intenção, trouxe a emergência de novos humanos, o Homo sapiens sapiens.
Da forma como aconteceu, tanto a tragédia quanto suas conseqüências plantaram as sementes da desilusão divina com a humanidade. Não foi a Expulsão do Paraíso um assunto muito escolhido para orações sobre a "Queda do Homem", que constituiu a verdadeira motivação para deixar que o Dilúvio varresse a humanidade da face da Terra.

Anônimo disse...

Em vez disso, foi um incrível ato de fratricídio: quando toda a humanidade totalizava quatro (Adão, Eva, Caim e Abel), um irmão mata o outro! E o motivo? Relacionado a Encontros Divinos... A história, conforme narrada pela Bíblia, começa quase como um idílio: E Adão conheceu Eva, sua mulher E ela concebeu e deu à luz Caim e disse:" Adquiri um homem com o (auxílio de) Iavé".E tornou a dar à luz seu irmão, Abel. E foi Abel pastor de ovelhas. E Caim foi lavrador da terra. Dessa forma, em apenas dois versos, a Bíblia leva o leitor a uma fase totalmente diferente na história das experiências humanas e estabelece o clima para o Encontro Divino seguinte. A despeito do rompimento entre Deus e Homem, Iavé ainda observa a humanidade. De alguma forma - a Bíblia não fornece os detalhes -, os grãos e o gado foram dominados, com Caim tornando-se um agricultor, e Abel um pastor.

Eduardd disse...

A verdadeira Bíblia


Por milhares de anos o homem vem escrevendo a verdadeira Bíblia — está sendo escrita dia a dia, e nunca será terminada enquanto o homem tiver vida.
Todos os fatos que conhecemos — os eventos verdadeiramente ocorridos; todas as descobertas e invenções; todas as maravilhosas máquinas cujas engrenagens parecem ter vida própria; todos os poemas; todas as jóias do intelecto; todas as flores do coração; todas as canções de amor — as tristes e as alegres; os grandes dramas da imaginação; as admiráveis pinturas — verdadeiros milagres da forma e da cor, da luz e da sombra; as maravilhosas esculturas que parecem respirar; os segredos contados pelas rochas e pelas estrelas, pelo pó e pelas flores, pela chuva e pela neve, pelo frio e pelo fogo, pelas correntes de ar e pela areia do deserto, pela altura das montanhas e pelas ondas do mar.
Toda a sabedoria que prolonga e enobrece a vida, que previne e cura doenças, que conquista a dor; todas as leis perfeitas e justas que guiam e modelam nossas vidas; todos os pensamentos que alimentam as chamas do amor; a música que transfigura, arrebata e enfeitiça; as vitórias do coração e da mente; os milagres que mãos construíram; as sábias e hábeis mãos daqueles que trabalharam por suas esposas e filhos; as histórias sobre feitos nobres, sobre homens bravos e produtivos, sobre o amor de esposas leais, sobre o amor incondicional das mães, sobre os conflitos em nome da justiça, sobre os sacrifícios em nome da verdade, sobre tudo de melhor que os homens e mulheres do mundo disseram, pensaram e fizeram através dos anos.
Estes tesouros do coração e do intelecto são as verdadeiras Sagradas Escrituras da raça humana que não estão escritos na Bíblia.

Eduardd disse...

Muitos séculos após Moisés — o líder — ter morrido, muitos séculos após todos seus seguidores terem morrido, o Pentateuco foi escrito — uma obra de muitos escritores —, e para lhe conferir força e autoridade, afirmou-se que era de autoria de Moisés.
Hoje sabemos que o Pentateuco não foi escrito por Moisés.
Nele são mencionadas cidades que nem existiam na época em que Moisés viveu.
Nele é mencionado dinheiro que só foi cunhado séculos após sua morte.
Assim, muitas das leis não eram compatíveis com viajantes do deserto — leis sobre agricultura, sobre o sacrifício de bois, ovelhas e pombas, sobre tecelagem de roupas, sobre ornamentos de ouro e prata, sobre o cultivo da terra, sobre a colheita, sobre o debulhamento de grãos, sobre casas e templos, sobre cidades de refúgio e sobre muitos outros assuntos que não possuíam qualquer relação possível com uns poucos viajantes famintos.
Não apenas os teólogos inteligentes e honestos admitem que Moisés não foi o autor do Pentateuco; todos admitem que ninguém sabe quem foram os autores ou quem escreveu qual daqueles livros, capítulo ou linha. Sabemos que os livros não foram escritos na mesma geração; que não foram todos escritos por uma única pessoa; que estão repletos de erros e contradições. Admite-se também que Josué não escreveu o livro que leva seu nome, pois nele há referências a eventos que ocorreram muito tempo após sua morte.
Ninguém conhece ou finge conhecer o autor de Juízes; todos sabemos que foi escrito séculos após os juízes terem deixado de existir. Ninguém conhece o autor de Rute, nem o Primeiro ou o Segundo de Samuel; sabemos apenas que Samuel não escreveu os livros que têm seu nome. No 25o capítulo de I Samuel é narrada a criação de Samuel pela feiticeira de Endora.
Ninguém sabe quem foi o autor de I e II Reis ou de I e II Crônicas; tudo que sabemos é que tais livros não têm qualquer valor.
Sabemos que os Salmos não foram escritos por Davi. Neles fala-se da escravidão, a qual somente ocorreu por volta de cinco séculos após Davi ter “dormido” com seus pais.
Sabemos que Salomão não escreveu os Provérbios nem os Cânticos; que Isaías não foi o autor do livro com seu nome; que ninguém conhece o autor de Jó, Eclesiastes, Éster ou qualquer outro livro do Novo Testamento, com exceção de Esdras.
Sabemos que Deus não é citado nem aludido em qualquer aspecto no livro de Éster. Sabemos também que o livro é cruel, absurdo e impossível.
Deus não é mencionado no Cântico dos Cânticos, o melhor livro no Velho Testamento.
E sabemos que Eclesiastes foi escrito por um incrédulo.
Sabemos também que os próprios judeus não haviam decidido quais livros eram inspirados — ou seja, autênticos — até o segundo século após Cristo.
Sabemos que a idéia de inspiração difundiu-se lentamente, e que a inspiração era determinada por indivíduos que tinham certos fins a serem atingidos.

Quinta do bebum disse...

Ave maria! jesus,maria e josé1

É muita demência junto.Tu anda misturando mel na caninha.

Faz um tratamento,por favor,enquanto ainda tens tempo.Eu sei que tu é um crioulo de bem,vai dar um chamêgo pra sua pretinha,coitada.Dê uma atenção pros meninos,para o papai e a mamãe.Relaxa,homem!
Esquece de gadrel,bíblia etc..ta estourando seus miolos.

Servidor Público disse...


A proposito de: 31 de Maio

ISRAEL DE DEUS, QUEM É/SÃO?

Minha resposta/contribuição: Sof.3:9,12,13; 2Tim.2:19; 1Cor.3:10-13; Efe.2:19,20; Apo.21:14.

Atentamente,

Kianba Uingui

ps: a ultima edição de A continela, sounds good!
Parabens!!!

Eduardd disse...

Bom dia TDSs e quinta do bebum :

Se conselho fosse bom não se dava ,estar certo , que piada , hey manos me de ouvidos , não seja você mesmo o seu próprio inimigo , tudo balela leia de tudo e retenha o que é bom , tudo que vc me mandou fazer eu já faço , vc tem o direito de não acreditar noq ue um idiota diz , mas tenha o dever de conferir , e refute com perspicácia , mas mesmo assim obrigado , pois sou um preto de Deus , caso tenha falado comigo , caso seja o apóstolo , que ele se pronuncie.

Anônimo disse...

”Faz parte do meu respeito pelas pessoas expor-me ao perigo de dizer-lhes a verdade - Wilhelm Reich”

Anônimo disse...

Apocalipse ou Revelação Cap. 1 Vers.7, onde diz sobre a volta de Cristo: "Eis que vem com as nuvens e todo olho o verá (...). E todas as tribos da terra se baterão em lamento (...)"

Não é isso uma descrição vívida sobre a revelação da real identidade de Jesus Cristo hoje cultuado como Deus pelas religiões? Essa volta provavelmente será uma discrepância no que tange à crença na pessoa de Jesus!

Esse "se bater em lamento" quer dizer justamente isso, que Jesus não é um Deus no sentido literal da palavra, ou seja, Divino, e sim um astronauta alienígena. Quanto será decepcionante para as pessoas religiosas descobrir tal verdade! Realmente será para se lamentar...

Apóstolo TDS disse...

Irmão Eduardd, um dia dirão:

'O livro de Revelação, ou apocalipse, que se atribui a João, não foi escrito por ele muito menos no primeiro século da EC. ele é um produto de muitas mãos e escritos após o século 18 da EC'.

Naqueles dias, existirão muitos irmãos afoitos para acreditar nisso, como o irmão hoje crer no erro dos críticos envenenados pelo ódio e ateísmo.

Obviamente nenhum crente se deixa levar por estas bobagens que o irmão fala. Porém, se o irmão se sente bem em caluniar as Santas Escrituras, vá em frente, ninguém pode impedir o irmão. Afinal, desde que nossos primeiros pais comeram do 'fruto proibido', somos como os Deuses, 'seres livres e capazes de determinarmos o que é bom e o que é mau para nós mesmos'.

Somente uma coisa: Todos seremos postados diante da cadeira de um juiz nervoso com tudo isso: O agora Deus Todo-Poderoso Jesus. O irmão deve levar isso em conta sempre.

Apóstolo TDS

Eduardd disse...

O problema aqui é que os escribas hebreus adotaram essa ideia de que o homem foi criado à imagem de Deus das tradições egípcias. Essa crença permaneceu com os israelitas durante toda a sua história, mas, porque não acreditavam em qualquer forma de representação física da divindade, no momento em que o Gênesis assumiu a sua forma escrita final, o conceito de uma “imagem de Deus” não tinha mais significado específico.

Para rastrear o conceito até às suas raízes, olhem para a visão dos egípcios. Os egípcios acreditavam tanto que a humanidade foi criada à imagem do Criador como que o Criador tinha tanto características masculinas e femininas. A passagem de um texto antigo conhecido como o Livro de Instruções para Merikare, ilustra o primeiro princípio.

Bem cuidado é a humanidade – o gado de deus.
Ele fez o céu e a terra por causa deles
Ele subjugou o monstro da água,
Ele fez respiração para seus narizes para se viver.
Eles são suas imagens, que vieram de seu corpo.

Observe o paralelo aqui com a passagem bíblica, em que ele fala não só sobre a humanidade de ser à imagem de Deus, mas também incorpora ambos os sexos masculino e feminino dentro da imagem.

Este texto, aparentemente, tinha grande circulação no Egito. Ela remonta originalmente ao vigésimo primeiro século a.C e a forma atual do texto citado aqui vem de um papiro escrito durante o período do Novo Reino, vários séculos mais tarde. Escribas hebreus no Egito, quase certamente teriam estado familiarizados com as ideias expressas.

Enquanto egípcios tinham várias ideias sobre como os seres humanos foram criados, esta versão especial indica que os homens e as mulheres foram as partes do corpo do Criador e é neste sentido que a humanidade tinha a imagem de um deus. Vários textos mostram também que a Criador incorporava ambas as características masculinas e femininas, explicando como ambas as formas masculinas e femininas poderiam vir da mesma fonte.

No esquema hermopolitano, por exemplo, o Criador foi composto por quatro machos e quatro fêmeas, como uma entidade única. Nas tradições de Heliópolis e Mênfis, Atum, sem o benefício de um companheiro, na verdade, deu à luz a duas divindades, Shu por espirrá-lo e Tefnut cuspindo-a. Ele assim o fez, de acordo com um texto, após a primeira ter “agido como marido com meu punho.” Atum também tem sido chamado de “Grande Ele-Ela”.

Ptah, o Criador de Mênfis, também apresenta características masculinas e femininas. Como um texto coloca:

Ptah-sobre-o-grande-Trono
Ptah-Nun, o pai que fez Atum;
Ptah-Naunet, a mãe que deu à luz Atum ...

Então, nós achamos que textos egípcios descrevem o Criador como tendo aspectos masculino e feminino e que a humanidade foi criada à imagem do Criador. Isso se traduz em Gênesis como “Assim Deus criou o homem [isto é, os seres humanos] à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou.”

Finalmente, chegamos à questão da identidade de ha-adam, o ser criado macho e fêmea. Uma vez que os nomes de Atum e Adam são pronunciados de forma quase idêntica, o “d” e “t” sendo intercambiáveis em um nível fonético, faz sentido que “Adão” seria um termo coletivo para a multidão de seres que saíram de Atum, o Criador de Heliópolis.

Eduardd disse...

Caro apóstolo , tu tens as mesmas informações que eu , alegou até mesmo que Salomão forjou o monoteísmo.
eu sei que sabes o que acontece , eu não sou ateu , apenas procuro fraudes e evidências , é obvio que embalei seu raciocínio , mas como sou homem de raciocínio sou odiado.

Apóstolo TDS disse...

Irmão Eduardd - ou seria melhor dizer Eduardo júnior?

Irmão, acho muito fantásticos os teus textos - proveitosos para muitas coisas. Tenho admirado teu estilo de busca da verdade e não tenho escondido isso aqui. Tenho falado vez após vez do potencial do irmão em ir atrás do que é real e não dos mitos e invencionices religionistas ensinados por líderes religionistas maus e inescrupulosos nas fraudes espirituais . . . .

Entretanto, visto que eu creio imensamente no Texto Sagrado como a verdadeira Palavra dos Deuses - embora assentada por escrito por homens* - continuo a me aprofundar nos seus muitos e maravilhosos enigmas.

Não conclua que 'odeio' o irmão por tê-lo advertido de que 'nos postaremos diante da cadeira do juiz designado pelos Deuses, Jesus'. Se falei, foi um simples aviso que o irmão deve levar em conta, mesmo que não acredite que esse futuro evento seja mesmo possível. Deves pensar o seguinte: 'vai que será assim mesmo!'

Acredito que o irmão é tão sincero em suas pesquisas quanto qualquer um de nós Testemunhas dos Deuses Santos. Quando o irmão se der conta que, não importa os escritos - se egípcios, se caldeu, se indu ou qualquer outra cultura ou saber -, mas quando eles falam coisas muito absurdas sobre a existência ou visita de Deuses; ou de 'seres Iluminados'; ou mesmo como na ficção Avatar do "povo do céu" ou coisa parecida - devemos ir atrás para sabermos tudo a respeito.

No caso em pauta, é bom para todos nós, humanos, que aquilo que o irmão chama de mito, seja verdade nos mínimos detalhes. Mas se for nem que seja 10 por cento verdade, é a maior das maravilhas já consideradas até hoje. Saiba: pelos olhos da ciência, só achamos o que parecem ser bactérias encravados num pedaço de pedra supostamente vindo de Marte como a única confirmação de vida extraterrestre. Se o que os livros contam tenha algo realmente a dizer sobre eles, devemos sim nos aprofundarmos neles, crendo que ali tem coisa que devemos assimilar.


Seu irmão na fé que confirma o carinho e respeito que tem pelo seu trabalho,

Apóstolo TDS
________
* Neste respeito nem me importo muito se Moisés ou mais pessoas compilaram o pentateuco e também de outros variados escritores que também acrescentaram seus pontos de vista sobre o que entendiam do texto . . .Para mim, se algo é maravilhoso, tenho de considerá bem de perto. - Filipenses 4:8.

Eduardd disse...

Boa lembrança de texto , quando diz lideres tu se esquece que está associado á estes lideres.

Era Jesus associado , dissociado , desassociado , apóstata dissociado , ou apostata desassociado ?

Apóstolo TDS disse...

O Senhor Jesus não era nenhum destes termos desprezíveis.

Ele era Judeu - logo ia ao templo como qualquer outro adorador dos Deuses (isto, claro, até se dá conta de sua divindade). Ele, porém, não fazia parte ou era "associado" aos líderes orgulhosos e maus do Corpo dos Governantes - fato que sabemos que ele constantemente denunciava a estes homens maus.

Jesus nunca se dissociou de sua religião, mas 'cumpriu' todos os requisitos biblicamente pedidos - embora não tenha cumprido um só dos 'mandamentos de homens'.

Jesus disse a uma mulher samaritana: "A salvação vem dos judeus". Ele poderia ter dito outra coisa se odiasse sua religião e povo. Obviamente Jesus não era um dissociado. Jesus tampouco foi desassociado enquanto não começou a dá 'problemas' para o Corpo dos Governantes. Jesus deu problemas para os líderes religionistas? Sim, deu. E o que sucedeu-lhe?

Ao se dá conta de sua condição divina e de sua missão - o que ocorreu aos trinta anos de vida - ele passou a observar que os ensinamentos e o comportamento altaneiro dos líderes religiosos estava equivocados e, por isso, eles agiam com opressão.

Jesus fez mais do que descobrir sua condição e messiado. Ele passou a questionar publicamente sua própria religião, embora um associado (judeu). Quando viram isso, os do Corpo dos Governantes passaram a bolar mil planos para o 'pegarem e o matarem', mas ele se esquivava com maestria deles. Ele dizia: "minha hora ainda não é chegada". Sim, Jesus sabia que um dia seria 'desassociado e morto', mas seria numa hora previamente marcada para isso.

Concordemente, três anos e meio depois, chegou esse "dia". Jesus foi levado à 'sala B da época' - o Sinédrio - onde foi injustamente julgado e condenado à morte. Em seguida fizeram todas aquelas iniquidades contra ele, conforme todos nós abemos e nem preciso citar em pormenores aqui. O ponto é o seguinte: Jesus fora injustamente 'desassociado' e logo em seguida morto, literalmente, pelos do Corpo dos Governantes judeu - os líderes de sua própria religião. Jesus não estava errado em questioná-los e aos ensinos apóstatas daqueles homens imbecis.

Hoje ocorre o mesmo com pessoas sinceras em toda a Terra. Membros de religiões cristãs ao questionarem as suas próprias crenças e a existência de um Corpo de governantes atuando sobre os crentes - determinando os rumos de sua fé - desassociam e causam a morte espiritual de tais. Os do Corpo dos Governantes das Testemunhas de Jeová, obviamente, cumprem o mesmo papel dos do Corpo dos Governantes judeu. Eles são implacáveis contra os que questionam os seus ensinos e, por isso, perseguem até a desassociação. Antes disso, porém, eles usam seus 'companheiros' - os anciãos - para aplicarem julgamentos injustos neles.

Irmão Eduardo. Embora eu seja uma TJ, não sou e nem estou associado aos do Corpo dos Governantes. Eu não aceito sua governança e não concordo que devam governar sobre o povo de Jeová. entretanto, não me dissocio do povo dos Deuses e, como Jesus, enquanto não chega a minha hora, me esquivo de ser pego por aqueles homens maus.

Desta forma, cumpro o meu papel exatamente como o meu Senhor e Deus fez. Ele deve está orgulhoso de ter servos assim.

Assim, Jesus era sim associado e não um desassociado. Quando chegou sua hora, porém, ele fora pego e, após injustamente julgado, foi brutalmente morto.

...

Apóstolo TDS disse...

...

Hoje os do Corpo dos Governantes buscam me pegar. Mas enquanto minha hora não chegar, não obterão êxito certo.

Os do Corpo dos Governantes, qual equivalente de Balaão, já acionaram seus lacaios - os anciãos e servos ministeriais em todas as congregações. Através de a cartas endereçadas a eles todos, pediram que me encontrassem e me desassociassem velozmente. anciãos de muitas congregações aqui na zona sul de São Paulo estão muito empenhados em me pegar e me levar aos seus tribunais injustos. Não haverá um advogado ali para me defender. Em seguida, muito felizes por obedecerem aos seus líderes, me desassociarão velozmente e com muito gosto. Quando eles me perguntarem por que sou contra os do Corpo dos Governantes, porém, direi toda a verdade, do mesmo modo que o meu Senhor e Deus fez.

Jesus nunca que foi um apóstata de sua própria religião pois esta era o povo dos Deuses aqui na Terra. Jesus nunca pediu para deixar de ser um judeu pois isso seria negar pertencer ao povo dos Deuses. O que fez ele? Denunciou as mentiras religionistas dos do corpo dos Governantes e, quando chegou seu dia, não lutoui contra seu destino. Entretanto, a sua desassociação e morte não foram justos e, por isso, não teve nenhum valor aos olhos dos Deuses santos.

Minha desassociação tampouco terá sentido. Lembre-se: os do Corpo dos Governantes, qual tipo de Balaão, 'não tem uma espada para nos matar'. Evidentemente esta parte do drama profético indica que eles não têm autoridade para desassociar e 'matar espiritualmente' os membros dentre o povo dos Deuses.

Continue a crescer na fé, duma fé livre do fermento dos iníquos.

Fico seu amigo,

Apóstolo TDS

Kianba Uingui disse...

No capítulo XIII o próprio profeta Enoque entra em cena. A essa altura, os meus herois já sabem que Deus tá uma arara com todo mundo e que vai descer o cacete geral. Com medo, pedem para o profeta interceder em seu favor. O bate-papo é o seguinte:

Eno 13:01 - Enoque então prosseguiu e disse a Azazyel: não obterás paz. Uma grave sentença foi proferida contra ti. Ele te aprisionará
Eno 13:02 - Descanso, compaixão e súplica terás, devido à opressão que ensinaste
Eno 13:03 - Em consequência de todos os atos de blasfêmia, tirania e pecado que revelaste aos filhos dos homens
Eno 13:04 - Deixando-o, falei a todos eles juntos
Eno 13:05 - E ficaram apavorados e tremeram
Eno 13:06 - Implorando que por eles escrevesse uma petição de súplica para que pudessem ser perdoados e pedindo que levasse suas orações até o Deus do céu, pois estavam impedidos de dirigir-se a Ele e de elevar seus olhos aos céus por causa da ofensa pela qual foram julgados
Eno 13:07 - Escrevi então uma petição com suas orações e súplicas, pedindo por seus espíritos a fim de que conseguissem a remissão e o descanso e de que fossem esquecidos todos os seus atos


Eno 14:02 - (...) Escrevi vossas petições, e na minha visão me foi mostrado que, enquanto o mundo existir, vossos pedidos não serão atendidos
Eno 14:03 - O julgamento foi pronunciado contra vós. Vossos pedidos não serão atendidos
Eno 14:04 - De hoje em diante, não mais ascendereis aos céus; Ele disso que vos aprisionará na Terra enquanto o mundo existir
Eno 14:05 - Mas antes destas coisas se passarem, testemunhareis a destruição dos vossos amados filhos; eles não serão vossos, pois pela espada tombarão diante de vós
Eno 14:06 - Nem podereis rogar nem por eles nem por vós
Eno 14:07 - Mas lamentareis e suplicareis em silêncio



Se nem suas criações diretas, os anjos, ele perdoa, que dirá nós, que nada temos a ver com ele? Deus mostrou-se um tanto cruel ao castigar não apenas os anjos mas também seus filhos – e fazendo-lhes questão de mostrar isso.

Há outras coisas interessantes a serem notadas aqui. Deus, quando vê que fez merda, manda logo destruir tudo de uma vez. Ele não parece lidar muito bem com o fracasso. Se fosse na vida real, ele teria sérios problemas em aceitar a derrota e seria provavelmente taxado como uma criança mimadinha e egocêntrica.. e outra coisa que me deixa pra lá de puto (meu lado biólogo falando mais alto desta vez) é que ele não pune apenas quem fez alguma coisa, mas tudo que existe ao redor. Um exemplo está bem abaixo:

Gên 06:05-07 - Destruirei de sobre a face da Terra o homem que criei, tanto o homem como o animal, os répteis e as aves do céu, pois me arrependo de os haver feito.

Alguém pode me dizer que culpa os animais têm nessa historinha toda!? Ele se arrepende de tê-los feito por que motivo!?

Vamos finalizar. Após saber de toda a história vemos que, além de tudo, esses anjos eram verdadeiros guerreiros! Encararam mulheres grotescas e as embelezaram para que nós, que estamos aqui hoje, as desfrutemos. Samyaza e Azazyel fizeram muito mais pela humanidade do que qualquer outro, fala a verdade! Deus até pode ter criado a mulher em seu conceito básico, mas foram os anjos que as ensinaram a se tornar mulheres de fato, desejáveis e sedutoras. E para nós!


Eles tiveram que encarar isto...(bruacas)

...E as transformaram nisto.(gostosas) E para você.
É, queridos leitores... se elas são assim hoje, o devemos à Samy, Zazá e sua turma. Duvido que algum de vocês jamais os tenha agradecido ou sequer os reconhecido por isso.

Nem mesmo as mulheres, com suas maquiagens, cílios postiços, joias e vestimentas provocantes... tudo isso lhes foi ensinado por Azazyel.

A única questão que ficou pendente é: por que Deus não criou "anjas" para vir subverter os homens aqui da Terra? Por que só as mulheres podem se divertir, porra!? Poderia até mesmo ser a solução para a avalanche pedófila que varre a Igreja: ao invés de estuprar usar criancinhas, os padres poderiam se saciar com "mulheres" de verdade! Seria um nicho que Samyaza poderia explorar...

Eduardd disse...

Se Jesus tivesse dito fiquem onde estão é a herança de Abraão , Isaque , Jacó , mas não ele disse eu sou o caminho , a verdade e a vida e ninguem vem ao Pai se não por mim.

Quanto á Jesus ter apostatado , veja este video abaixo por gentileza :

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=hkpW8zczN9w

Apóstolo TDS disse...

Enoque escreveu as seguintes palavras, conforme já citadas pelo irmão Kianba:

"Tu não obterás paz. Uma grande sentença há contra ti. Ele te amarrará; Socorro, misericórdia e súplica não estarão contigo por causa da opressão que tens ensinado; E por causa de todo ato de blasfêmia, tirania e pecado que tens descoberto aos filhos dos homens." - Enoque 12:1 e 2, TDS.

Este "Ele" que 'amarraria" o Deus Azazyel foi o Deus Rafael. (Eno 10:6) Rafael fez exatamente isso. Dos Deuses que pecaram naqueles tempos, somente Azazyel foi julgado iníquo e imerecedor de perdão. Por isso se diz que ele não 'obterá paz'. Rafael o aprisionou com grilhões alienígenas que nem sequer sonhamos em conhecer. Ele não terá perdão quando todos os Demais Deuses - ou anjos - receberem seu devido perdão pelo sangue derramado do Cristo.*

Azayel tornou-se o pior dos Satãs - pior até que Gadrel. Gadrel nunca que forçou as coisas, mas tornou-se um 'sedutor', um 'mentiroso' e um 'perseguidor'. Por exemplo, ele disse ao Senhor: ' se tu acha que é mesmo o Filho dos Deuses, então prova, transforme pedras em pães, pule da alta muralha . . . '

Vejam que se fosse Azazyel, que é mais iníquo que Gadrel, não perguntaria coisa nenhuma. Ele forçaria o Senhor a comer as pedras e o empurraria da muralha, exatamente como fez com os pobres e aparentemente indefesos homens e mulheres dos dias pré-diluviano. Evidentemente Gadrel também não obterá perdão pelo que se tornou . . .

Sobre isso, no entanto, muito aprenderemos conforme avançarmos em nossas pesquisas sobre o canônico livro de Enoque.

Quanto ao irmão atribuir iniquidades aos Deuses santos, acho que está muito aquém da verdade. Os Deuses santos nos dariam tudo o que temos e muito mais, mas no tempo devido deles, conforme nossas necessidades. Era só uma questão de tempo. Para os Deuses pecadores, no entanto, que apressaram tudo, ficou o alerta de que não adianta ir contra os Deuses supremos Jeová. quem hoje faz isso só tem a perder, pois segundo o próprio nome Deles, Jeová, eles 'fazem o que bem entendem e não há quem possa dizer a eles: "que que vocês pensam que estão fazendo?"'

Fiquemos na paz de nossos Deuses santos e soberanos Senhores Jeová.

Apóstolo TDS

_______
* Conforme tenho evidenciado aqui, os Deuses que pecaram mas que estão no Tártaro, como pregou Judas e Pedro, terão perdão pois foram visitados pelo Senhor Jesus que lhes pregou boas novas de salvação.

Eduardd disse...

Algumas coisas a gente fica torcendo para não ser verdade. Infelizmente, no mundo fundamentalista evangélico, nem as crianças são poupadas. Ainda fico me perguntando como 2 ursos podem conseguir comer 42 crianças, 21 pra cada um! É de fazer rir mesmo!

2Reis 2 23-24

Kianba Uingui disse...

Histórias da criação de todo o mundo antigo, todos têm um tema comum, onde a humanidade é criada a partir de terra, lama ou barro por um ser divino. Essas histórias são semelhantes à história de "Adão e Eva bíblico". Essa semelhança se estende até a "Torre de Babel" e as grandes histórias do "Dilúvio" também. Os esquimós do Alasca, os antigos egípcios, japonês e sul-americanos todos nos dizem que seus antepassados ​​foram transportados por seus deuses ou seus deuses lhes ensinou suas línguas ou escrita. Um lugar onde você não esperaria uma história da criação para ser semelhante ao "Adão e Eva" épico, é a Austrália.

Os aborígines na Austrália falam de um criador ser nomeado Indjuwanydjuwa. Indjuwanydjuwa disse ter criado este mundo. Ele criou tudo a si mesmo. Ele criou um homem e uma mulher de lama. Ele, então, disse ao homem e a mulher para fazerem mais pessoas para preencher o país. Este criador disse aos aborígines podiam comer os frutos da planície, peixes, tartarugas, etc "Ele tinha um gosto bom", ele disse.
A causa de como a humanidade (Adão) foi criado é difícil de acreditar no início, no entanto, uma extensa pesquisa vai revelar a verdade para você. As semelhanças acima mencionados dentro das histórias da criação da humanidade, O Dilúvio e a Torre de Babel, todos têm uma raiz comum, Suméria.
A edição resuminda pelos compiladores do Livro de Gênesis nos deixaram estúpidas versões dos acontecimentos. Textos anteriores oferecem mais detalhes.
Se os cristãos forem estudar a Bíblia hebraica, que é a original, eles descobrem que, em primeiro lugar, o ato criativo é atribuída a um certo Elohim - um termo plural que, ao menos deveria ser traduzido como "deuses", não "Deus". "Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança." Em seguida, a sugestão foi feita:

"E criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou, homem e mulher os criou."

A sugestão origina de uma entidade plural que aborda um público plural. E em segundo lugar, os cristãos tornam-se conscientes de que o versículo citado também explica por que "O Adão" foi criado: "Porque não havia Adão para lavrar a terra." Estas são duas importantes - e inquietante - dicas para quem criou o homem e por quê.
Bramley refere-se aos criadores da humanidade como "deuses de Custódia". Esse termo pode ser interpretado de forma segura como as bíblicas Elohim/ Elite maçons dos dias moderno por causa de sua assinatura ocultista que codificada no DNA humano . Estas são as mesmas pessoas que faziam parte de "Deus", o mesmo que controlar o mundo (II Coríntios 4). Gênesis 6:3 também diz que eles são seres de carne e osso, assim como você e eu somos.
Os detalhes

Antigas tábuas mesopotâmicas dizer que já houve um tempo em que não havia seres humanos na terra em tudo. Em vez disso, a terra era habitada pelos deuses. Os deuses estavam minerando e explorando dos recursos da Terra. A vida na Terra não foi fácil para esses deuses, como diz um tablete de argila:

Quando os deuses como homens
Diâmetro do trabalho e sofreu a labuta-
A labuta dos deuses era grande,
O trabalho era pesado, o sofrimento era muito ---

Os deuses não estavam satisfeitos com a sua situação. Eles eram propensos a se queixar, traição e rebelião contra seus líderes. Eles precisavam de uma solução, uma nova raça de escravos para assumir o trabalho de quebrar as costas. E é claro que a solução para o seu problema era o Adam.

O Jardim do Éden bíblico não é um lugar mitológico, mas um local real. Ele foi localizado no que chamamos de moderno Iraque.

A história de Adão e Eva bíblica na Bíblia é comumente mal interpretado. A maioria acha que o pecado original tinha algo a ver com sexo ou nudez. Quando devidamente pesquisado seria descobrir que era o aprendizado de certos tipos de conhecimento que foi feito um pecado. A Elite maçons (Elohim) não quer que o homem ao saber que conhecimento.

Anônimo disse...

Notei a foto do filme Prometheus e não me detive em comentar
“A sequência no início do filme é fundamentalmente criação. É uma doação, no sentido que o peso e a construção do DNA destes extraterrestres está além do que podemos imaginar. Pode ser qualquer lugar, ou qualquer planeta. Tudo o que está fazendo (o engenheiro) é atuando como um jardineiro no espaço. A planta é a vida, de fato, é a desintegração de si mesmo.


Imagem extraída da sequência onde o “engenheiro” se desintegra e
cai na catarata depois de beber um estranho líquido. (Imagem
cortesia de Scot Free Productions)
A ideia de que um organismo extraterrestre poderia ter chegado à Terra para semear a vida foi explorada pelo Prêmio Nobel de Medicina e co-descobridor do DNA, Francis Crick, sob o nome de Panspermia.

O problema é que no filme percebemos que os “engenheiros” pensavam destruir a humanidade. Enquanto a expedição da nave Prometheus explora o planeta dos “engenheiros”, o android David descobre que estes seres extraterrestres pensavam regressar ao planeta Terra (ao redor do ano 93 d.C.) equipados com uma letal arma biológica. A pergunta que muitos fazem é; por que estes seres queriam nos destruir se foram eles os que nos criaram? A resposta a possui o diretor Ridley Scott:

“Se olhar o cenário de nossos antepassados, há momentos em que que parecia que estávamos fora de controle, correndo com saias e armaduras, me refiro é claro ao Império Romano, e lhes foi permitido fazê-lo por quase mil anos, e você pode dizer, ‘enviemos a um de nossos emissários para ver se é possível deter isto’. E adivinhe, o crucificaram.


Esta imagem pertence à sequência inicial do filme mas não foi
incluida no corte final. Nesta podemos ver que antes de que o
“engenheiro” beba o líquido que o desintegrará ocorre um
ritual onde participam outros de sua espécie. (Imagem
cortesia de Scot Free Productions)
Ficou claro, para Ridley Scott e companhia, Jesus foi um extraterrestre. Foi um dos “engenheiros” enviados à Terra para nos ensinar o caminho e nós, tão civilizadamente, não tivemos melhor ideia que crucificá-lo.

Se os “engenheiros” são ou não são os Anunnaki ou se Jesus foi também um Anunnaki não é o mais importante.

Para todos os que não estão de acordo ou não estão satisfeitos com a história como nos contaram, o filme “Prometheus” é um pequeno triunfo que nos indica que cada vez mais pessoas estão duidando da versão convencional da história do mundo antigo. É um grande passo adiante que o filme “Prometheus” se adere abertamente à teoria que sustenta que a vida na Terra foi criada por seres extraterrestres e que, ademais, apoie indiretamente a ideia de que os sumérios provávelmente tiveram contato com civilizações extraterrestres.

“Prometheus” nos leva às perguntas transcendentais da vida mas desde uma perspectiva que não está encadeada a nenhum dos paradigmas de turno. Ridley Scott assegura que a continuação de “Prometheus”, se for feita, tratará de responder a essas perguntas:


Outra sequência da cena inicial que não foi incluída no corte
final do filme. (Imagem cortesia de Scot Free Productions)
“Prometheus” nos leva às perguntas trascendentais da vida mas desde uma perspectiva que não está encadeada a nenhum dos paradigmas de turno. Ridley Scott assegura que a continuação de “Prometheus”, se for feita, tratará de responder a essas perguntas:

* “Bom, desde o início, eu estava trabalhando com uma premisa que me levava a uma continuação. Realmente não quero conhecer Deus na primeira parte. Quero deixar aberto a Elizabeth Shaw quando diz ‘Não quero voltar ao lugar de onde eu vim, quero ir ao lugar de onde eles vieram’.

Quém nos criou? Por que estamos aqui? Ou, quém é Deus? São reflexões que nos presenteia “Prometheus” se conseguirmos olhar além dos efeitos visuais, as explosões e as acrobacias de ação.

Tjcurioso disse...

Minha mensagem á todas as testemunhas de Jeová.....

http://indicetj.com/tjcurioso/mensagem.htm

TDS_Edumor disse...

Irmão TJ Curioso, o irmão é o dono do site IndiceTJ?

Tjcurioso disse...

Tô envolvido.

Eduardd disse...

Quando Deus disse a Adão que ele morreria no mesmo dia em que ele comesse da Árvore do Conhecimento, a ameaça deve ser entendida no sentido de que os humanos não devem tentar tornar-se como uma divindade. Deus não queria que Adão literalmente caísse morto no dia em que comesse o fruto proibido; ele quis dizer que no dia em que Adão violasse o mandamento, ele perderia o acesso à vida eterna. Lembre-se que Deus inicialmente não proibiu Adão de comer da árvore da vida. (Presumivelmente, uma mordida da fruta da árvore não conferia a imortalidade. A pessoa precisava comer continuamente dela e encher sua vida.) Uma vez que ele violou o mandamento, ele perdeu o acesso à árvore da vida e já não podia comer o fruto que impedia a morte.
Esta inconsistência aparece na face de um dilema moral no relato bíblico. Parece que Deus mentiu e a serpente disse a verdade. Inicialmente, Deus ordenou a Adão para não comer da árvore do conhecimento, dizendo-lhe que ele morreria no mesmo dia em que ele fizesse isso. No entanto, mais tarde, depois de comer do fruto dessa árvore, Adão não só viveu (por cerca de mais 900 anos), mas Deus temia que ele obtivesse a vida eterna; caso comesse do fruto da árvore da vida seria necessário expulsá-lo do Jardim.

Se Genesis baseia-se na doutrina egípcia, por que a história bíblica toma um rumo tão radical quando se trata de comer da árvore do conhecimento? A divergência nas duas histórias resulta de diferenças fundamentais entre as crenças dos egípcios e dos hebreus sobre a vida após a morte.

Os egípcios acreditavam que, se você vivesse uma vida de ordem moral, o deus Osíris, que governava sobre vida após a morte, deveria atribuir-lhe a vida eterna. Essa foi a ligação filosófica entre estes dois princípios fundamentais da vida e da Ordem Moral, e é por isso que os egípcios retratavam-nos como os filhos do Criador. Com efeito, o conhecimento do comportamento moral é um passo para a imortalidade e divindade. Essa é precisamente a questão enquadrada no Gênesis.

Quando Adão comeu do fruto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, Deus declarou que, se Adão também comesse do fruto da árvore da vida ele iria tornar-se como Deus. Mas os hebreus eram monoteístas. A ideia de que os seres humanos poderiam tornar-se semelhantes a Deus se foi em face do conceito teológico básico da religião bíblica, que havia e só podia haver um deus. Os seres humanos não podem tornar-se semelhantes a Deus.

Iara disse...

Um texto muito produtivo e dinâmico! Além de usarmos a nossa Fé no Deus de Abraão, Isaac e Jacó, também é importante que venhamos explorar o nosso intelecto, fazendo uma relação de aplicação da Palavra de Deus (praticá-la) com os aprendizados relacionados aos aspectos históricos. Além de uma vida plena com o Senhor Jesus, novos conhecimentos também contribuem para um crescimento pessoal! Parabéns pela matéria! Finalmente, pude concluir as minhas dúvidas!

Rodolfo Avoletta disse...

Tjcurioso,me parece que o responsável pelo dito site tornou-se batista,isso procede?

Tjcurioso disse...






Então agora você descobriu que pode ser livre. Porém, liberdade é uma coisa amedrontadora. Da nascença à morte, a maioria das pessoas trabalham duro para evitar a liberdade de escolha. Elas querem que lhes digam o que pensar, o que fazer, e no que acreditar. Nós somos criaturas sociais, e nós almejamos um senso de pertencer, e às vezes isso significa abandonar nossa liberdade. Escolher deixar as Testemunhas é tanto um assunto emocional quanto intelectual.

Porém, chega um momento quando nós sentimos, profundamente, que o preço da conformidade é muito alto, e nós vomitamos. Quando a Testemunha sai, particularmente essas que foram criadas na "Verdade", ficam como bebês no bosque. Elas não sabem mais no que acreditar, e (mais importante) porque acreditar. Pode ser um período terrível na vida.

Mas ser verdadeiramente humano, ser o melhor que podemos ser, temos que nos forçar a afrontar desafios difíceis. Alguns destes desafios são quase um quebra-cabeça, e deixar uma religião ocupa um rank bem graduado na lista de decisões estressantes que podemos tomar.

Agora mesmo, "todas as cartas foram lançadas". Se a Sociedade Torre de Vigia estiver errada sobre certas coisas, Ela pode estar errada sobre outras. Quanto você pode reter, e quanto deveria jogar fora? Quanto do que você acredita ainda é verdade, e quanto do que foi ensinado deve ser jogado fora?.



ABANDONANDO

Baseado em minha experiência ajudando ex-testemunhas, eu diria que as pessoas têm que passar pelo processo de partida a um passo que é pessoalmente apropriado à elas. Ninguém senão você pode determinar quão depressa você pode mudar.

Você está a apenas um pouco na estrada que conduz para longe da Sociedade Torre de Vigia. Você pode caminhar mais rapidamente que alguns, mas há um limite do quão depressa você pode se mover. Você reconhecerá eventualmente e aceitará suas limitações, então percebe que sua tolerância para as mudanças não é infinita. Você é humano, não um computador que pode ser carregado com novos dados.

Eu recomendo que você comece primeiro olhando criticamente as doutrinas das Testemunhas. Explore suas dúvidas e alargue sua perspectiva. Embora a Sociedade Torre de Vigia desencoraje isto, questione como se fosse um "cético" e avalie o que eles lhe contam. Estude outras religiões e filosofias, mesmo que soem "estranhas", procurando por inconsistências e (acima de tudo) comodidades. Aprenda mais e adquira uma visão mais larga.



O PRÓXIMO PASSO

O próximo passo é até mesmo mais difícil. Você tem que entender como anos de doutrinação o afetaram. Esta não é uma questão de lógica. Não é sobre o intelecto, mas sobre preocupações em nossos sentimentos mais íntimos. Por que agimos como temos feito? Por que acreditamos em certas coisas, sejam elas verdadeiras ou falsas? Qual é o efeito de anos sendo guiados diariamente, de acordo com um conjunto rígido de regras? (Ainda que mutantes).

Embora lidar com o conteúdo intelectual da doutrina das Testemunhas seja um problema interessante, perceber e se opor a doutrinação inexorável é bem mais difícil. Pode levar anos para ver como nós fomos amoldados. Realmente, nossos egos se rebelam contra a ideia de que pudemos ser afetados assim. Ainda uma vez mais, somos apenas humanos, e podemos ser moldados por pressão de semelhante e constante leitura seletiva, e aderência a uma doutrina que proíbe que investiguemos alternativas.



FORÇA

Se você ainda orar, reze por paciência e força para enfrentar este processo longo de mudança. Em todo caso, você deveria procurar outras pessoas que estão procurando livremente; elas podem lhe proporcionar ajuda e garantia, até mesmo caso você não concorde com todas as conclusões delas.

Apenas se lembre que há muita informação e apoio lá fora para você. Você só precisa perguntar.

Quanto ao site , o dono e danado batista é sempre será , no fundo , no fundo uma tj enrustida , aqui ele já se apresentou como anonimo 2.

Apóstolo TDS disse...

Irmão Eduardd,

"Quando Deus disse a Adão que ele morreria no mesmo dia em que ele comesse da Árvore do Conhecimento, a ameaça deve ser entendida no sentido de que os humanos não devem tentar tornar-se como uma divindade."?

Quando o irmão indica que o que os Deuses disseram soou como uma "ameaça", não explica em absoluto os motivos que os levaram a plantar a árvore no paraíso. Não tem sentido eles indicarem que são "amor"; e "justiça; e "sábios"; e um monte de adjetivos positivos quando 'ameaçam' suas criaturas. Tampouco faz sentido, como o espírito indicou-me, que eles plantaram a árvore para 'provar nossa obediência a eles', como pregam os líderes religionistas falsas do Corpo dos Governantes das Testemunhas de Jeová.

Se fosse assim, os Deuses teriam uma personalidade diametralmente oposta à indicada por todos os escritores das Escrituras Sagradas, mas ele estaria 'provando com coisas más o homem', como negou Tiago, o escritor do livro bíblico que leva seu nome e que citei na matéria acima e também é citado na revista da parte de Jeová, A Continela de abril a junho de 2013.

Assim, a derradeira explicação para a existência da "árvore do bom e do mau" no meio do paraíso tem que ver com o desejo dos Deuses de que um dia o homem estaria preparado para dela se alimentar e, consequentemente, 'tornar-se como eles próprios: seres livres'. Ocorre porém, como foi bem explanado, que Gadrel, um dos Deuses anteriormente santo, fez com que o homem 'violasse' uma das maiores regras postas em operação por eles mesmos e que seria nos melhores benefícios para nós, humanos: ele nos fez comer da árvore antes do tempo marcado para isso.

Assim, de acordo com o raciocínio lógico e espiritual, conforme revelado pelo "espírito dos Deuses santos" a nós, TDS, desde o princípio os Deuses intencionaram que nós 'fôssemos como os Deuses, sabendo o bom e o mau', sim, eles tencionaram que fôssemos iguais a eles. - Daniel 4:8, 9; Gên 3:22.

Apóstolo TDS disse...

Irmão Eduardd, o irmão continuou dizendo:

"Deus não queria que Adão literalmente caísse morto no dia em que comesse o fruto proibido; ele quis dizer que no dia em que Adão violasse o mandamento, ele perderia o acesso à vida eterna. Muito bem, foi isso mesmo! Certamente Jeová, os Deuses, tencionaram que o homem fosse sempre obediente a eles e que, no devido tempo, permitiria que ele comesse do 'fruto da árvore da liberdade de escolha do que é bom e do que é mau'. Ocorre que eles permitiram que eles comessem constantemente da árvore da vida e, por isso, tanto Adão quanto seus descendentes imediatos, viveram por muitos séculos.* Sim, é verdade, quando o homem 'violou o mandamento' de 'não comer da árvore do bom e do mau', os Deuses não quiseram criaturas que vivessem indefinidamente no estado de pecadores. Por isso os expulsaram para longe do paraíso e ainda puseram robôs de guarda para salvaguardar a árvore da vida. Esse pequeno incidente também nos ensina que os Deuses não entendiam que a árvore da vida - e também a árvore do bom e do mau - eram apenas ilustrativas, como também ensina os falsos líderes religionistas que dizem que 'ambas as árvores simbolizavam a vida e a morte' respectivamente.

Apóstolo TDS

__________
* Como o espírito indicou na A Continela de junho de 2012, a árvore da vida possivelmente existiu até um tempo próximo dos dias do diluvio e, é provável que ela tenha sido desarraigada da terra no próprio dilúvio. Se assim foi, então tudo isso explica a longevidade de todos os humanos de antes do dilúvio mas que, após o dilúvio, a vida decaiu muito e rapidamente. A revista mencionada explicou que, possivelmente, o homem era beneficiário do fruto da árvore da vida mesmo indiretamente e isto o fazia viver muito.

Apóstolo TDS disse...

Irmão Eduardd, o irmão disse:

"Parece que Deus mentiu e a serpente disse a verdade. Inicialmente, Deus ordenou a Adão para não comer da árvore do conhecimento, dizendo-lhe que ele morreria no mesmo dia em que ele fizesse isso. No entanto, mais tarde, depois de comer do fruto dessa árvore, Adão não só viveu (por cerca de mais 900 anos), mas Deus temia que ele obtivesse a vida eterna; caso comesse do fruto da árvore da vida seria necessário expulsá-lo do Jardim."

Tenho feito um extenso e profundo estudo das origens da humanidade aqui na Terra e o livro de Gênesis me fascina muito. "Parece que [os Deuses mentiram] e a serpente disse a verdade", disse o irmão. Eu já me esbarrei nesse falso raciocínio um dia mas por zelo dos Deuses santos tive de reexaminar tudo novamente. Quando a gente faz isso o espírito dos Deuses santos, que 'examina nossos rins e corações', nos beneficiam com o raciocínio correto e honesto das coisas.

Ocorre que os Deuses não mentiram. Ao vilar o mandamento os Deuses tomaram a firme decisão de expulsar o homem para longe da fonte da vida - a árvore da vida - e, desta forma, o homem 'morreu mesmo', mesmo que para isso levou quase mil anos. Se ele não tivesse pecado estaria comendo da árvore da vida até hoje e, consequentemente, vivendo até hoje. Será que os Deuses acharam que os efeitos da árvore da vida sobre a carne do homem seria temporária e que, assim ele 'morreria no mesmo dia' em que fosse afastado dela? Resta-nos saber, mas é tentador pensar assim. Isso nos levaria a outro nicho do saber bíblico: os Deuses não sabiam o verdadeiro grau de vitalidade causada ao homem. Seria isso possível? Eu acho que sim, mas resta muitas pesquisas e oração para se chegar a essa conclusão.
Duma coisa podemos saber corretamente: "É impossível que os Deuses [santos] mintam". (Hebreu 6:18) Se o irmão passar a crer assim entenderá que deve haver todas as demais explicações para todos os fenômenos ligados ao que eles fazem e falam.

O irmão também disse:

"Se Gênesis baseia-se na doutrina egípcia, . . . "

Será que Gênesis se 'baseia nos ensinos egípcios' ou é o contrário? Não são os ensinos egípcios que se baseiam nos ensinos de Gênesis? Ou será que é o caso de nem um nem outro? Teriam ambos sido influenciado pelo que disseram os sobreviventes do dilúvio e os livros que estes homens trouxeram de lá?

Irmão Eduardd, Nem gênesis nem os livros egípcios foram escritos sequer nas proximidades dos tempos pós diluvianos. Assim, é mais provável que não só Gênesis (sabedoria judaica), como os egípcios - ou quaisquer outras teorias, de quaisquer outros povos - se basearam no que ouviram dos sobreviventes e do que leram dos livros que estes trouxeram de lá. O livro de Enoque, por exemplo, veio de lá. Temos também as palavras de Matusalém, de Jarede e até de Noé.

Não, não é verdade que o Gênesis se baseou nos contos e teoria do Egito, ou da mesopotâmia ou de qualquer outro povo. O fato de os ascendentes dos judeus falarem a mesma língua, o hebreu, corroborou para que o que fora escrito nos livros judeus fossem o mais plenamente próximo da verdade dos verdadeiros fatos ligados às nossas origens. Assim, pesquise toda a verdade tendo como espelho principal o livro do Gênesis, de Enoque e outros que relatam a verdade de um modo mais límpido.

Quando o irmão mistura os deuses inventados pelos egípcios - Osíris, por exemplo, está olhando através de 'espelho de prata' quando o irmão tem à disposição um espelho totalmente de vidro refletor: "Toda a Escritura".

Apóstolo TDS

Anônimo disse...

Tjcurioso disse:"Baseado em minha experiência ajudando ex testemunhas"

Você,tjcurioso,também abandonou as tjs e se tornou pastor batista ou doublê de pastor como o do site índice?

Renato disse...

Muitas vezes observamos e ouvimos pessoas indagando e fazendo declarações tais como: Você conhece a verdade? Está na verdade? Esta organização é a verdade! Está a religião verdadeira! Onde será que de fato está a verdade? Estaria ela numa organização? Estaria ele numa pessoa pecadora? Não, mão mesmo.
Jesus disse: "​Santifica-os em tua verdade; tua palavra é a verdade." Bíblia livre

Se a verdade está nas Escrituras, e dela ninguém sabe tudo, então ninguém possui toda a verdade, e sim feixes de luz vindos desde a verdade. Que isso possa nos fazer mais humildes e unir-nos não para exibirmo-nos como quem sabe mais ou quem é cristão de verdade ou não, mas sim para nos fazer ser mais tolerantes, entendo que somente Yah tem a posse total da verdade, a qual é sua essência.

Anônimo disse...

http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001060091

José Tavares disse...

A palavra ao o verbo é o principio de todas as coisas, a palavra da terra é carnal com apoio na teologia dos homens,a do céu é espiritual e tem a revelação e o mistério a que nem todos vão ter acesso porque depende do pai das luzes e do espírito santo que habita em nos por intersecção de Cristo único mediador entre o homem e Deus o principio é importante ao seja o velho testamento porque nos confundo mas é esse o propósito de Deus para buscar a verdade dentro da mentira do pai da mentira o anjo poderoso jeova o pai de toda a carne o senhor do ouro e da prata e dos poderes materiais do mundo a que Cristo chamou de maligno para abreviar só nos resta o espírito de vida que Cristo nos deu ao vencer a morte. ele mesmo disse é bom que eu vá para que o pai vos mande o consolador que é o espírito santo que habita em nos.amem